16 maio, 2005

O PASTOR E O POLTRÃO


O Asterix existiu mesmo, mas nem era Gaulês nem se chamava Asterix. Segundo um autor brasileiro, o verdadeiro Asterix chamava-se Viriato e era Lusitano. Resistiu ao poderio romano durante aproximadamente 60 anos, até que Scipião, encarregado de tomar a região defendida pelo pastor-estratega, conseguiu corromper os emissários de Viriato, acabando por matá-lo. Isto passou-se no séc. II antes da nossa era.De modo completamente diferente outra figura da nossa História, D. João VI, terá derrotado outra grande potência - a França de Napoleão. Esta visão é defendida por um outro autor brasileiro, que "conheci" num manual brasileiro da 5ª série. Vale a pena a transcrição: "Manso e pacato, bonachão e simplório, foi a imagem que ficou. Poltrão mesmo, disseram muitos, em alusão gratuita à migração da família real, como se o minúsculo rei tivesse meios de resistir à máquina de guerra dos franceses (...) a partida de D. João foi efectivamente apressada, dando a impressão de fuga, de medo de Napoleão, quando em realidade o estava derrotando, vencendo-o espectacularmente (...) Poucos anos depois, em seu exílio em Santa Helena, Bonaparte redimiria o poltrão: "Foi o único que me enganou!", disse, rememorando a frustração de não ter podido aprisionar o monarca português, tal como fizera com Fernando VII de Espanha".Quem diria: um pastor e um poltrão a porem em sentido generais daquela estirpe!

(Tive de colocar este texto outra vez porque estava a ser bombardeado com comments de um ácaro qualquer, por isso apaguei o original. Quem quiser comentar novamente que o faça, por favor, pois os comments anteriores desapareceram.)

3 comentários:

bombas disse...

Bonaparte foi derrotado na Peninsula Ibérica pelos TRIPEIROS. Mainada. Se tivessem começado por Lísbia, tinham tido uma vitória redundante e lá se ía a nossa soberania.
Viva os tripeiros e a consequente tripalhada à moda do Porto (cidade).

poltrona disse...

Talvez o bombardeio a que se refere terá vindo de algum agente de Lord Wellington que não teria gostado da referida confissão de Napoleão Bonaparte? Afinal a sobrevivência do "Poltrão" não foi assegurada pelos ingleses? Vinha agora o Napoleão a tirar-lhes o brilho da vitória?

vitríolo disse...

Está tudo enganado: não foi D. João que fugiu, foi a mulher dele que quis is trabalhar para o bronze e conhecer mais de perto alguns...bronzeados. Pelo menos da fama não se livra.