20 maio, 2005

FALAR BRASILEIRO

Estou irritado.
Não sou uma sumidade, nem pra lá caminho, no campo linguístico. Confesso-me um ignorante em todas as matérias que compõem o mundo científico. Até na História, que melhor conheço, estou a milhas de atingir um nível apreciável.
Vamos então saber o que me irrita. Estou há uns bons meses no Brasil. Para falar verdade está perto de fazer um ano. A língua portuguesa do Brasil tem um tom muito agradável, mas a mim, um falante do português de Portugal, até se me eriçam os pêlos do braço, até se me enrola qualquer coisa cá dentro e sinto que estou prestes a estourar, quando ouço e vejo como tratam a língua portuguesa por aqui.
Se por um lado a língua é uma arma económica e política a não desprezar, no âmbito da globalização e de toda uma estratégia que se pretende de "vistas largas", por outro tenho vontade de mandar à fava os PALOP, não por motivos raciais nem geográficos, mas pelos que já referi, os linguísticos.
Estou num grande impasse. Ao orgulho que ocasionalmente sinto por motivos vários contrapõe-se uma Real, sim, com "r" grande, vontade em prescindir dos 180 milhões de palradores que habitam este país do mapa dos que falam a língua portuguesa. E eles por certo achariam bem. Iriam ficar contentes por dar mais uma facada no pai (esta não é minha), ao terem uma língua deles, ao falarem "brasileiro".
Estaria eu a renegar uma história comum? Muito provavelmente uma parte dela. Mas quem conhece a História sabe bem que não é inédito.
Esta irritação há-de passar, muito provavelmente quando me for daqui.

6 comentários:

Almeida Garrett disse...

Imagino o que deve sentir quem esteja há tanto tempo num país em que a nossa língua seja tão mal tratada! Só imagino, não sei como deves sentir! O mais próximo que posso estar de saber resume-se ao escasso contacto com as cada vez mais pessoas que vêm para Portugal, não só da Brasil, como dos outros PALOP. Parece até que a nossa língua comum, o bom e tradicional Português, se está a perder. Não estou a procurar radicalizar o assunto, falo apenas pelo que conheço epelo que sinto, longe de negar o meu sentido de História. Falo pelo que vejo e ouço, muito em particular, na minha própria casa. Os meus irmãos são o perfeito exemplo dessa perda linguistica.
Desde as mais básicas expressões a frases completas, o futuro do nosso país utiliza palavras, expressões que envergonham qualquer adulto. Não vejo isso como um mal, apenas serve de exemplo para o que aí assiste, e aqui eu ouço: a língua portuguesa maltratada.
Em Portugal é comum ouvires falar em várias línguas e dialectos, numa mistura que acaba por influenciar(não sei até que ponto negativa ou positivamente;o tempo o dirá!), os mais novos.
Aí talvez se agradeça o "brasileiro" como língua. Aqui eu só peço que se procure defender o bom português!

bombas disse...

Que terão dito os senhores do latim quando começou a aparecer o francês, o espanhol, o italiano, o português e o romeno?

Ramdas disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
tartaruga veloz disse...

afinal o Português é uma língua viva ou morta? Se ainda falássemos como no tempo de Garrett significava isso que o orgulhosamente sós tinha sido levado às últimas consequências. Deixem que os outros tornem o Português mais bonito...desde que falem Português.

Takase disse...

Certa vez, uma amiga espanhola que conheci na Alemanha disse-me que adorava o Brasil e que, além disso, adorava o som da língua brasileira. Mantive-me sereno, ao que ela vendo a minha inexpressão emocional me perguntou se eu não me importava com aquilo.
Respondi-lhe que não, eu era culturalmente igual a ela, concerteza que ela também não se importaria de eu dizer que na Argentina falam argentino, ou em Cuba a língua Cubano.
Este mesmo episódio repetiu-se por diversas vezes noutros países. A pergunta aqui fica:
Será que é incompreensível para os outros como é que um país de terceira, pode ter tantas coisas de primeira categoria?
Quando deixaremos de apostar nas quimeras passadas e apostaremos no presente, naquilo que efectivamente podemos transformar?

Moises disse...

FALAR BRASILEIRO
Estou irritado. Não sou uma sumidade, nem pra lá caminho, no campo linguístico. Confesso-me um ignorante em todas as matérias que compõem o mundo científico. Até na História, que melhor conheço, estou a milhas de atingir um nível apreciável.Vamos então saber o que me irrita. Estou há uns bons meses no Brasil. Para falar verdade está perto de fazer um ano. A língua portuguesa do Brasil tem um tom muito agradável, mas a mim, um falante do português de Portugal, até se me eriçam os pêlos do braço, até se me enrola qualquer coisa cá dentro e sinto que estou prestes a estourar, quando ouço e vejo como tratam a língua portuguesa por aqui.

…Pois ele tem toda a razao.. Deviamos era parar de maltatar a lingua portuguesa.. Pois de portugues mesmso so temos aquilo que somo obrigado a aprender na escola, uma materia forcada pois aprendemos a escrever de uma forma que ja nao falamos mais… falar correto o Portugues so eles memso que desde o berco ja aprendem a falar o portugues ‘correto‘ ao passo que nos no brasile desde pequenos aprendemos a falar o portugues errado ‘brasileiro’ podemos ate dizer que o idioma brasileiro e um portugues mal falado.. Se insistirmos em chamar de portugues ao que falamos..

Se por um lado a língua é uma arma económica e política a não desprezar, no âmbito da globalização e de toda uma estratégia que se pretende de "vistas largas", por outro tenho vontade de mandar à fava os PALOP, não por motivos raciais nem geográficos, mas pelos que já referi, os linguísticos.

….Bem de fato e uma questao politica mais interastate para Portugal que para o Brasil, Portugal ja nao anda bem das pernas e se deichar de falar a setima lingua mais falada pouco restara das estatisitcas uma vez que nem no plano economico ja nao aparece nas primeiras posicoes nas estatisticas. E o certo que pelos Angolanos que conheco eles nao tem grande orgulho pelo fato de falarem portugues.. Mais um poiz com cultura propria escrava de uma colonizacao mal sucedida..

Estou num grande impasse. Ao orgulho que ocasionalmente sinto por motivos vários contrapõe-se uma Real, sim, com "r" grande, vontade em prescindir dos 180 milhões de palradores que habitam este país do mapa dos que falam a língua portuguesa.

… Pois que prescinda amigo.. Nos continuaremso a ser 200 milhoes de pessoas por aqua a falar nossa lingua.. E continuaremos.. Pois bem sei que para Portigal a unica coisa importante para eles engolir que falamos o portugues e um R maiusculo.. Nossa moeda..

E eles por certo achariam bem.

.. Eu acharia otimo..
Iriam ficar contentes por dar mais uma facada no pai (esta não é minha), ao terem uma língua deles, ao falarem "brasileiro".Estaria eu a renegar uma história comum?
Muito provavelmente uma parte dela.
Mas quem conhece a História sabe bem que não é inédito.Esta irritação há-de passar, muito provavelmente quando me for daqui.

.. Bora amigo bem sei o que o portugueses sentem ao verem vossa lingua a ser massacrada.. E acho que vossa irritacao nao passara tao logo pois aqui ainda temos alguns brasileiros a insistir em massacrar vossa lingua..dizendo que isso que falamos aqua e portugues sim senhora!