10 novembro, 2010

II Jornadas Aclusianas

ACLUS 043.JPGACLUS 016.JPGACLUS 044.JPG

Sob o tema "As Independências das Américas: celebrar para interrogar", realizaram-se no dia 9 de Novembro de 2010 as II Jornadas Aclusianas, uma iniciativa da ACLUS – Associação de Cultura Lusófona, que este ano teve o apoio do Núcleo Lusófono da História da Universidade Lusófona.

O tema visou celebrar o bicentenário da independência do México, Venezuela e Argentina. A sessão foi aberta pelas Sras. Professoras Maria Adelina Amorim, e Olga Iglésias, distinta Presidente do Núcleo Lusófono das História. Como convidado especial, Exmo. Sr. Doutor Fernando Cristóvão, fundador da ACLUS, que comemorava precisamente nesse dia o seu 88.º aniversário.

Entre os oradores contavam os alunos do terceiro ano do Curso de História da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa. As suas comunicações, tiveram como base os seus trabalhos académicos para o Módulo Américas da Cadeira de Descolonizações; América, África e Ásia. De salientar a presença na sala do Sr. Embaixador da República do Paraguai, Don Luiz Fretes Carreras, que felizmente para o orador sobre o Paraguai, só se apresentou no final da sessão.

O programa foi ordenado por ordem cronológica das independências; assim foi o colega Carlos Tavares a Iniciar as apresentações com a Revolução Americana, ao qual se seguiram: Armando Correia (1776), com o Haiti (1804); Anabela Pereira com o México (1810); Elsa Cunha com a Argentina (1810), Vítor Escudero com a Venezuela (1810); Paulo Medeiros com o Paraguai (1811), Deolinda Mendes com o Chile (1818) e Higino Marçal com o Uruguai. Seguiu-se uma comunicação do colega Vítor Escudero, sobre a Falerística no Novo Mundo, igualmente integrado na avaliação da mesma cadeira.

Os trabalhos seriam encerrados pela Sra. Professora Maria Adelina Amorim, com a sua comunicação sobre o Brasil, porém ainda houve temo para a nossa cara colega, Conceição Alves, nos falar sobre a Independência do Perú. No final houve uma alegre confraternização entre os alunos das três turmas do Curso de História, docentes e restante assistência, onde foi servido um excelente beberete, com algumas iguarias tradicionais do nosso país como o Bolo da Boda da Sertã, um delicioso bolo de laranja, vinho do Porto, ou a bem tradicional jeropiga entre outros petiscos.

Mais uma vez, e apesar do grande nervosismo, foi um enorme prazer fazer parte, de mais uma excelente iniciativa do nosso Núcleo Lusófono da História, em Conjunto com a ACLUS e com a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Paulo Medeiros

3 comentários:

Maria da Conceição Alves disse...

Parabéns pela eficiência. O artigo está óptimo. Gostei da conferência só tive pena de não estar o tempo todo. O convívio esteve maravilhoso.
Abraço
Conceição

Teotonio R. de Souza disse...

As II JORNADAS ACLUSIANAS, iniciativa da Associação de Cultura Lusófona, foram realizadas em parceria com o Núcleo Lusófono da História (Univ Lusófona) na Faculdade de Letras de Lisboa.
Celebraram-se as independências dos países das Américas num espírito de cooperação entre várias instituições públicas e privadas, num real aproveitamento de sinergias e partilha de conhecimentos e de afectos.
Estamos de parabéns.
Maria Adelina Amorim

papagueno disse...

Só foi pena o nervosismo durante a minha apresentação. Mas pelo menos o Embaixador do Paraguai gostou.
Papagueno aka Paulo Medeiros