03 dezembro, 2008

O tempo e o trabalho

Já há anos que venho pensando para comigo mesmo que o tempo que nos tomam deveria ser nosso e não dos outros. O tempo que gastamos a trabalhar não é apenas o tempo em que estamos no local de trabalho. Muitas vezes vai muito para além disso, o que considero um roubo, apesar de não ser do Bloco de Esquerda.
Acordo todos os dias às 6.30 horas da manhã, porque que devo estar às 9.00 horas no meu local de trabalho. Tanto tempo até às 9.00 horas... são 2.30 horas que tenho, que deveriam ser gastas com os meus, comigo, como bem entendo, mas não, elas são "gastas" em função do meu horário de trabalho, 9.00 horas.
Depois, há o regresso a casa, e a hora que se gasta a chegar, dependendo do local de trabalho e do de morada de cada um. Podem ser duas horas e podem ser 15 minutos, claro.
Além disso considero um exagero o tempo de trabalho. Não está em discussão a necessidade que temos de trabalhar e do salário no fim do mês, está, sim, em causa o tempo que passamos a trabalhar (nalguns casos, que passamos no emprego). São os nossos filhos que sofrem com isto. O tempo que "damos" ao patrão, o tempo que o patrão nos compra, somados dão, em média, suponho, umas 10 horas, no mínimo.
Sejamos justos: trabalhamos mal, ainda por cima, à boa maneira portuguesa.
Depois queixamo-nos das nossas crianças, que andam mal educadas, que andam na droga, que batem nos professores, que não têm referências.
Só uns pais muito equilibrados é que, após 10 horas de trabalho, têm ainda a clareza de espírito, as forças para educar com qualidade os seus pequenos.
Que pai que ganha misérias, que chega cansado a casa, que anda "de mal com a vida" pode ainda, ao chegar a casa, já de noite, e ainda dar o carinho, a atenção, os ensinamentos de que as crianças tanto precisam?
Não estou aqui a particularizar, a chamar a atenção para um caso isolado, estou a apreciar globalmete o que vejo e ouço há anos.
Menos horas de trabalho, mais rentáveis, mais tempo para nós e para os nossos. Julgo que seria a receita para um mundo melhor.
Ou então, optemos pela fórmula antiga: mulheres voltem para casa! Como estamos no século XXI poderemos até ser nós a fazê-lo...

3 comentários:

Teotonio R. de Souza disse...

É uma reflexão preocupada, saudável e preocupante! Nem a todos falta o tempo, mas será que estes sabem ou são capazes de aproveitá-lo?
Muitas vezes a questão não é de faltar ou ter, mas de saber, querer e gerir.

Pedro Araujo disse...

Há gente com filhos que passa horas no café, a beber cerveja ou bagaço e não "aproveita". Eu não tenho dúvidas, o tempo que me sobra do muito que passo no trabalho é para a família, não para o bagaço.
Mas o professor sempre disse isso, de "saber gerir o tempo", mas diga-me como pode alguém (eu estou de fora destas contas) que passa 10 horas fora de casa gerir o tempo se não é proprietário de tempo quase nenhum, até porque tem 6/7 horas em que tem que dormir?
Que solução dão os filósofos para isto?

ricardo disse...

boa reflexão mas na minha humilde opinião,alguns problemas se podem reflectir derivado ao sistema que vivemos que assim aceitamos e nos foi entregue,pq muito reclamamos mas pouco actuamos. não são somente as 10horas de trabalho mas tb o termos que pagar para trabalhar e se fizer as contas todas desde o minuto k acorda ate chegara casa ira ver que ganha mais ficar em casa porque desde o almoço a transporte diário alimentação mais aqueles extras que sempre se gastam diariamente no fim das contas fica em 20%do salário e posso provar tirando ainda o dinheiro a segurança social e irs etc,que é dinheiro totalmente no lixo sem investimento algum ou retorno sim pq as reformas o comprovam... de um lado filosofo na minha mera opinião o grande mal esta no nosso ego humano k se alimenta do que vê e não do k sente seguimos numa linha cada vez mais ilusorica e humilhante,a falta de amor e consciência universal chegou a um estremo critico bastante critico estamos a beira da extinção e isso se comprovam a olhos vistos,passamos a valorizar as coisas,e a usar as pessoas, quando as pessoas se devíamos valorizar pelo simples sorriso e gesto de amor e as coisas como o próprio nome o indica para usar e jogar fora aqui esta só um pequeno resumo sem alongar mais minha humilde opinião mas não se aflija o problema não será nosso mas sim das gerações futuras nossos filhos e nossos netos...ate breve e mt paz e amor para todos,,,e não sou negativista mas sim realista pq só pela realidade podemos criar a felicidade plena em prol de todos mas 1 temos de saber o k e a realidade...a frase mais humilhante que o ser humano já mais poderia ter dito é "a vida é assim" não não é nunca foi e nunca será,nunca esteve nem estará escrita em algum lado k seja assim mas sim assim o é por nossa ignorância